JavaScript Disabled. For a better experience on this website please enable JavaScript in your browser.
SGAS 605 Conjunto E, Lotes 34/37 | Brasilia, DF 70200-650 Brazil | 55 (61) 3442-9700 | Contact Us
Apr
6

Assessment Policy Applications at Home

Assessment Policy Applications at Home

Last week, 14 members of the faculty from EAB shared their knowledge by presenting at the Association of American Schools in South America (AASSA) Conference.  Besides demonstrating their deep knowledge and experiences, the team also learned a lot. One of the keynote speakers, Myron Dueck, shared some of his beliefs about the future of education.

Myron is also one of the researchers in which our EAB Assessment Policy is heavily based.  In this video, Myron shares one of the ways that assessment aligns to life at home. In fact, there are many ways that the Underlying Principles and Essential Agreements of our EAB Assessment Policy can be considered at home.  Here are two examples from both sections of the policy:

Underlying Principles -

  • Self-assessment supports learning.
    • Students, whether at home or school, need opportunities to be self sufficient.  In the real world, we do not depend on daily evaluation to know if we are sinking or swimming.  Students who are able to assess their own work (at home or in school) will be better able to make goals for their own learning and show greater independence and growth. A question like, “How do you think you did?” followed by, “How do you know?” support learners in their self assessment journeys.
  • Feedback is one of the most effective ways to affect student learning (both evaluative and descriptive).
    • I can remember a time when my father taught me how to paint interior walls.  He gave me a very quick lesson then left the room.  After I finished, I was quite proud of myself, until a few hours later... I saw him repainting everything I had done.  To this day, I am still not a great painter because I never received feedback on how to improve. When teachers and parents provide specific feedback, they guide students to adjust their knowledge on the spot and learn more quickly.  

Essential Agreements -

  • Zeros should not be included in grade determination when evidence is missing, or as a punishment.  Alternatives, including reassessing to determine true achievement, or “I” for insufficient evidence  should be used until the work is completed.
    • As Myron points out in his video, our end result is we want clean, cavity-free teeth!  Punishment does not fix the problem, it often causes more problems! My parents understood this.  As a child, I despised eating my vegetables.  Instead of threatening to take away television or having a time out, my parents made it clear and simple.  I couldn’t leave the table until I ate my vegetables.  There were some extremely long dinners, but always my veggies were gone...and now I’m even a vegetarian!

 

  • Clear descriptions of achievement expectations should be given to students when the assessment is assigned.
    • Often, there are too many surprises for kids. A great example of this can be found around the chore of cleaning a bedroom.  Many fights have been had at homes around the world of children claiming they cleaned their room and parents disagreeing.  However, often the problem is in the criteria or expectations.  Children genuinely think their room is clean.  Teachers and parents have the necessary job of ensuring clarity with their expectations.  One parent, frustrated about the clean room fights had a powerful idea.  She cleaned the room, and then took pictures of what a clean room looked like.  Every time her son had to clean his room, she reminded him that it needed to look like the pictures...no more surprises, no more disagreements.  Her son learned exactly how to clean.

 

As we have said many times before, parents and teachers are a team, even in assessment!

Respectfully,

Matt Hajdun
Lower School Director of Teaching and Learning

 


Como Aplicar a Política de Avaliação da Escola em Casa

Na semana passada, quatorze membros do nosso corpo docente compartilharam seus conhecimentos com uma apresentação na Conferência de Educadores da Associação das Escolas Americanas da América do Sul (AASSA). Além de demonstrarem seu profundo conhecimento e experiências, a equipe também aprendeu muito. Um dos principais palestrantes, Myron Dueck, falou sobre algumas de suas crenças sobre o futuro da educação. Myron é também um dos pesquisadores em que a nossa Política de Avaliação se apoia fortemente. Neste vídeo, Myron compartilha uma das maneiras em que a avaliação se alinha à vida em casa. De fato, existem muitas maneiras pelas quais os Princípios Fundamentais e os Acordos Essenciais da nossa Política de Avaliação podem ser usados em casa. Seguem dois exemplos abaixo:

  • A auto-avaliação apoia o aprendizado
    • Alunos, seja em casa ou na escola, precisam de oportunidades para serem autossuficientes. No mundo real, não dependemos de uma avaliação diária para saber se estamos afundando ou nadando. Os alunos que são capazes de avaliar o seu próprio trabalho (em casa ou na escola) serão capazes de traçar metas para sua própria aprendizagem e mostrar maior independência e crescimento. Perguntas como: “Como você acha que conseguiu?”, seguida de outra pergunta: “Como você sabe?” apoiam os alunos em suas jornadas de autoavaliação.

 

  • Feedback é uma formas mais eficazes de apoiar o aprendizado do aluno (tanto avaliativo quanto descritivo)
    • Eu me lembro da época em que meu pai me ensinou a pintar paredes. Ele me deu uma aula muito rápida e em seguida saiu do quarto. Depois que terminei eu fiquei bem orgulhoso de mim, até que eu o vi refazendo todo o meu trabalho. Até hoje eu ainda sou um grande pintor, pois eu nunca recebi um feedback sobre como melhorar. Quando professores e pais dão um feedback específico, eles orientam os alunos como ajustar seus conhecimentos no local e aprender rapidamente.

 

Acordos Essenciais

  • Zeros não deveriam ser usados para determinar uma nota quando existe falta de evidências ou como punição. Alternativas, incluindo a reavaliação para determinar a verdadeira razão, ou “I” para provas insuficientes devem ser usadas até que o trabalho seja concluído.
    • Como Myron aponta em seu vídeo, nosso resultado final deve ser dentes limpos e sem cáries! Meus pais entenderam isso. Quando criança eu detestava comer legumes. Em vez de ameaçar tirar a televisão ou me proibir de sair, meus pais foram claros e simples. Eu não poderia deixar a mesa até ter comido os legumes. Alguns jantares foram extremamente longos, mas eu sempre comi meus legumes e agora, até me tornei vegetariano!

 

  • Descrições claras das expectativas de realização devem ser dadas aos alunos quando a avaliação é atribuída.
    • Muitas vezes, existem surpresas demais para as crianças. Um grande exemplo disso pode ser encontrado na tarefa de limpar o quarto. Muitas brigas já aconteceram em casas de todo o mundo, com crianças alegando que já limparam o quarto e os pais dizendo que não. No entanto, muitas vezes o problema está nos critérios ou expectativas. As crianças realmente acham que o quarto está limpo. Professores e pais tem um trabalho muito importante: garantir clareza em suas expectativas. Uma vez, uma mãe frustrada com a limpeza do quarto de seu filho teve uma excelente ideia. Ela limpou o quarto e depois tirou fotos do quarto limpo. Cada vez que seu filho limpava o quarto, ela dizia que precisava ficar como as fotos. A partir daí, acabaram as surpresas e desentendimentos. Seu filho aprendeu, exatamente, como limpar.

Como já repetimos muitas vezes, os pais e professores são um time, até na hora de avaliar.

Atenciosamente,

Matt Hajdun
Diretor de Ensino e Aprendizagem do Lower School
Archive
Welcome! Please sign in:

Can't access your account?