JavaScript Disabled. For a better experience on this website please enable JavaScript in your browser.
SGAS 605 Conjunto E, Lotes 34/37 | Brasilia, DF 70200-650 Brazil | 55 (61) 3442-9700 | Contact Us
May
7

Distance Learning in Action: 8th Grade Humanities

One of the larger challenges to online learning has been transitioning an intentionally crafted safe physical space, towards a safe online learning space. Part of this safe space necessitates authentic connections both with peers and with their teacher. Throughout the stages of learning students have been frequently surveyed with the recurring question, “How connected do you feel with your teacher/peers during the quarantine?” As suspected, a majority of the students reported feeling less connected. Understanding these challenges and demands, the last unit design was imagined specifically with the intention of increasing connectivity, all the while still honoring student agency and academic rigor.

With the data in mind, we embarked on a “Film as Literature” unit. Building on the recent content knowledge on the Harlem Renaissance and social systems, students selected from various films to study. Extending the medium of a text to film, students continued to practice analyzing from the traditional story elements: character development, plot, setting, theme, and craft. However, in addition to the story analysis we began to add new layers by considering the cinematography and the influence of social systems on the lived experiences of the characters in the film. This ultimately provided very nuanced analyses by considering the intersection of story elements, cinematography and social systems. 

Perhaps as important as the academic content was what was happening on the social/emotional level as well. Since students were working in groups based on their movie choices, students were able to create virtual movie viewing parties if they wanted. Students reported popping popcorn and spending an evening together watching, pausing, and discussing their film together. Other students decided to sit with their family to watch and discuss the film together. And some watched alone with their notebook, jotting down notes for the next day's group discussion. These viewings and discussions culminated in a collaborative discussion summative where students came together to ask questions, share observations, provide evidence, and make connections. I sat and watched as the conversations unfolded and new ideas were generated. I was floored by their astute observations and their comfort in engaging in such academic discourse.

While distance learning has provided new challenges, it has provided new opportunities as well. As the unit wrapped up last week, students reflected on a unit survey confirming not only their enjoyment of the unit, but also things they learned. I’d like to finish by sharing some of their observations: 

  • For the longest time, I didn't view movies or the cinema world as a from of education or literacy and I guess this unit contradicted that, it was all a question of how far you look into it, after analysing I realised that not only could it be literacy but it has contributing factors that add to meaning such as cinematography and soundtrack.

  • I enjoyed watching the movies and how you can tie entertainment with learning.

  • I liked hearing the opinions of my classmates

  • The fact that instead of doing a written summative, we had a discussion, which I feel is an easier and more dynamic way to test our knowledge in these things.

  • I learned about various systems of power and social systems.

  • I learned that there is a lot going on "behind the scenes" of a lot of people, but some are just good at hiding that.

  • Overall, just how privileged we are, how unaware we are of other people's reality. How one boy can be born with society already against him and how poverty is a bit of an unending circle, and very rarely do people have the chance to pull themselves out like the main character did.

  • It helped me understand things from another's perspective, whether I relate to them or not.

  • That I'm so lucky that i have all the opportunities that I have, but also that we need to start changing how we give certain groups more access or privileges, because above all, we are just people, and the true thing that makes us different is the lack of those opportunities and how you choose to see someone else.

  • Sometimes subconsciously, we are oppressing people

  • Film can carry as much content, knowledge as in literature

  • A movie, or text, that is analyzed correctly can change a person's perspective of society.

  • It is important to acknowledge how the characters in the movie feel, and not only what happened in the movie. Think: what would you do if you were that character in that situation?

 

Mutually learning, 

 

Colby Grabill (and Grade 8 students)

8th Grade Humanities 

 


 

Ensino a Distância em Ação: Ciências Humanas na 8ª Série

Um dos maiores desafios ao ensino a distância tem sido a transição de um espaço físico seguro e intencionalmente criado para um espaço de aprendizagem virtual que seja seguro. Parte deste espaço seguro requer ligações autênticas tanto com os colegas de classe como com o professor. Ao longo das fases de aprendizagem, os alunos têm sido frequentemente questionados com a seguinte questão: "O quão conectados se sentem com seus professores e colegas de classe durante a quarentena?". Como esperado, a maioria dos alunos relatou estar se sentindo menos conectada. Compreendendo estes desafios e exigências, a última unidade de aulas foi projetada com a intenção específica de aumentar a conectividade, honrando ao mesmo tempo as capacidades de trabalho e o rigor acadêmico dos alunos. 

Com os dados em mente, embarcamos numa unidade intitulada "Cinema como Literatura". Com base nos estudos recentes sobre o Renascimento do Harlem e os sistemas sociais, os alunos puderam escolher entre vários filmes para estudar. Ao estender o meio de um texto ao cinema, os alunos continuaram a praticar a análise a partir dos elementos tradicionais da história: desenvolvimento de personagens, trama, cenário, tema e técnica. No entanto, além da análise da história, começamos a acrescentar novas camadas, considerando a cinematografia e a influência dos sistemas sociais sobre as experiências vividas dos personagens presentes nos filmes. Isso acabou proporcionando análises bem diferenciadas ao considerar a interseção dos elementos da história, da cinematografia e dos sistemas sociais. 

Tão importante quanto o conteúdo acadêmico foi, talvez, o que também estava acontecendo no nível sócio-emocional. Como os alunos trabalhavam em grupos com base em suas escolhas cinematográficas, eles tinham a possibilidade de criar salas virtuais para assistir a filmes, se assim o desejassem. Alguns alunos disseram que fizeram pipocas e que passavam a noite assistindo, pausando e debatendo o filme escolhido juntos. Outros alunos optaram por reunir-se com a sua família para assistir e discutir o filme com eles. E alguns assistiram sozinhos com o seu caderno de notas, tomando notas para a discussão do grupo que seria realizada no dia seguinte. Esses pontos de vista e discussões culminaram numa discussão colaborativa onde os alunos se juntaram para fazer perguntas, compartilhar observações, apresentar elementos concretos e estabelecer ligações. Observei o desenrolar das conversas e a geração de novas ideias. Fiquei impressionado com suas observações inteligentes e seu conforto em se envolver em tal discurso acadêmico.

Embora o ensino a distância tenha proporcionado novos desafios, ele também tem proporcionado novas oportunidades. Com o encerramento da unidade na semana passada, os alunos responderam a uma pesquisa e confirmaram não apenas a sua satisfação com a unidade, mas também com as coisas que aprenderam. Para terminar, gostaria de compartilhar algumas de suas observações:

  • Durante muito tempo, não encarava o cinema como uma fonte de estudos e acho que essa unidade contradisse isso. Era tudo uma questão de saber até que ponto devemos olhar para o assunto. Depois de analisar, percebi que não só poderia ser uma forma de educação, como também possui factores que contribuem para o seu significado, como a cinematografia e a trilha sonora.

  • Gostei de ver os filmes e de como se pode ligar entretenimento e aprendizagem. 

  • Gostei de ouvir as opiniões dos meus colegas de turma.

  • O fato de, ao invés de fazermos um resumo escrito, termos tido uma discussão, que considero ser uma forma mais fácil e dinâmica de testar os nossos conhecimentos sobre estas coisas.

  • Aprendi sobre vários sistemas de poder e sistemas sociais.

  • Aprendi que há muita coisa acontecendo "nos bastidores" de muitas pessoas, mas algumas são simplesmente boas em esconder isso.

  • Em geral, o quão privilegiados somos, e o quão ignorantes somos da realidade de outras pessoas. Como um rapaz pode nascer com a sociedade já contra ele e como a pobreza é uma espécie de ciclo interminável, e muito raramente as pessoas têm a oportunidade de se afastarem como fez a personagem principal.

  • Isso me ajudou a compreender as coisas do ponto de vista dos outros, quer eu me relacione ou não com elas.

  • O fato de eu ter muita sorte em ter todas as oportunidades que tenho, mas também de precisarmos começar a mudar a forma como damos mais acesso ou privilégios a certos grupos, porque, acima de tudo, somos apenas pessoas, e a verdade que nos torna diferentes é a falta dessas oportunidades e a forma como escolhemos ver outra pessoa.

  • Por vezes, subconscientemente, estamos oprimindo as pessoas.

  • O cinema pode ter tanto conteúdo e conhecimento como a literatura

  • Um filme, ou texto, que é analisado corretamente pode mudar a perspectiva de uma pessoa sobre a sociedade.

  • É importante reconhecer como se sentem as personagens do filme, e não apenas o que aconteceu nele. Pense: o que você faria se fosse essa personagem nessa situação?

 

Aprendendo mutuamente, 

 

Colby Grabill (e alunos da 8ª Série)

Ciências Humanas da 8ª Série

Welcome! Please sign in:

Can't access your account?