JavaScript Disabled. For a better experience on this website please enable JavaScript in your browser.
SGAS 605 Conjunto E, Lotes 34/37 | Brasilia, DF 70200-650 Brazil | 55 (61) 3442-9700 | Contact Us
Sep
26

High Expectations, High Levels of Support

High Expectations, High Levels of Support

Great controversy often surrounds what works in schools and there are many perceived "right" ways to educate the next generation.  Recent research from some of the top universities in the United States, summarized in this Op-Ed from David Leonhardt of the New York Times, points decidedly, however, to one characteristic of high performing charter schools: they have high expectations for students, and provide significant support to help students meet those expectations. 
 
Without overtly stating it as a goal, EAB has followed this "high expectations, high support" model in recent years.  Most notably, in 2009 the school introduced the rigorous, highly-respected International Baccalaureate Diploma Program (IBDP) to our students.  Every year since, a significant percentage of students in grades 11 and 12 have chosen to join the IBDP, and, with the exception of the first year of testing, EAB scores for the comprehensive diploma program have been well above the world average.  This year, 46% of the Senior class and an impressive 85% of the Juniors have chosen to enroll in the IBDP.  What's more, all students in grades 11 and 12 will take a two-year IB class in BSS (Brazilians only), English and Mathematics and therefore every student will experience the intensity and richness of the IB during their academic career at EAB. 
 
In the last five years students in grades 6-10 have also seen an increase in expectations as we have aligned all classes to rigorous grade-level standards and further aligned those classes vertically to the IB program.  In this way at the end of grade 10 all students are prepared to choose the IBDP if it is the best fit for their academic goals. 
 
We realize that raised expectations may lead to unintended consequences like an initial decrease in performance, undue stress and higher levels of frustration.   Therefore, as we have raised expectations, we also have increased our levels of support for all students.  Through the EAB Assessment Policy we have created structures to guide students who have late work and designated time and space for that work to be completed.  In a normal week teachers are available after school and during FLEX Study Hall, for a total of 250 minutes, to provide students with enrichment and reinforcement of the learning that happens in the classroom.  
 
This year we have added three new teaching positions in the Upper School and hired excellent professionals to fill those positions.  This has led to significantly smaller class sizes in most classes and this reality allows teachers to provide more time to each individual student in the classroom on a daily basis.  We also have hired an additional part time learning specialist to further support students with designated learning needs.
 
At EAB we believe strongly that support for students goes beyond the classroom and have  therefore developed and continue to improve an advisory program in both the Middle and High Schools called FLEX Groups.  The purpose of these groups is to provide time for students and teachers to develop meaningful relationships, to allow students to practice metacognition and to focus on the social and emotional needs of the young men and women of our school. 
 
Finally, and most importantly, every day at EAB we maintain a laser-like focus on who we are here to serve: our students.  In both informal and formal ways the dedicated teachers of the Upper School spend their days talking about students, their learning, their happiness and well-being and how they are developing as students and as human beings.  Each week a team called the Student Support Team (SST) meets to discuss students who may need added structures to support learning, who are struggling socially or emotionally, or who have experienced a significant disruption in their lives.  The team then creates individualized plans to support those students. 
 
At its core, EAB is a learning environment that is based on caring, thoughtful relationships between the members of its community.  This is nowhere truer than in the relationships between students and their teachers.  These relationships, more than any other factor, allow us to ask a lot of our students as learners and human beings and provide the structure of support that allows us to prepare them to lead happy, healthy, productive lives of purpose and meaning.


 

Expectativas Elevadas, alto nível de suporte

Grande controvérsia geralmente envolve a debate do que funciona nas escolas e há muitas formas "certas" de educar a próxima geração. Pesquisas recentes de algumas das principais universidades dos Estados Unidos, resumidas nesta Op-Ed de David Leonhardt, do New York Times, apontam decididamente para uma característica das escolas charter de alto desempenho: elas têm grandes expectativas para os estudantes e fornecem um apoio significativo para ajudar os alunos a satisfazer essas expectativas.

Sem declarar abertamente como um objetivo, a EAB seguiu esse modelo de "altas expectativas, apoio elevado" nos últimos anos. Mais notavelmente, em 2009, a escola introduziu o rigoroso e altamente respeitado Programa do Diploma de Bacharel Internacional (IBDP) para nossos alunos. Todos os anos desde então, uma porcentagem significativa de alunos no 11º e 12º ano optou por se juntarem ao IBDP e, com exceção do primeiro ano de testes, as notas do EAB para o programa de diploma abrangente foram bem acima da média mundial. Este ano, 46% da turma sênior e 85% dos juniores escolheram se inscrever no IBDP. Além disso, todos os alunos dos anos 11 e 12 terão uma classe IB de dois anos no BSS (somente brasileiros), inglês e matemática e, portanto, todos os alunos irão experimentar a intensidade e a riqueza do IB durante sua carreira acadêmica na EAB.

Nos últimos cinco anos, os alunos da 6ª a 10ª série também viram um aumento nas expectativas, pois alinhamos todas as classes com padrões de nível rigoroso e também alinhamos essas classes verticalmente com o programa do IB. Desta forma, no final do primeiro ano, todos os alunos estão preparados para escolher o IBDP, caso seja o melhor para seus objetivos acadêmicos.
Percebemos que as expectativas elevadas podem levar a consequências não intencionais, como uma diminuição inicial no desempenho, estresse indevido e níveis mais altos de frustração. Portanto, como aumentamos as expectativas, também aumentamos nosso nível de suporte para todos os alunos. Através da Política de Avaliação do EAB, criamos estruturas para orientar os alunos com atraso no trabalho e designamos tempo e espaço para que esse trabalho sejam concluídos. Em uma semana normal, os professores estão disponíveis após a escola e durante o FLEX Study Hall, por um total de 250 minutos, para proporcionarem aos alunos o enriquecimento e o reforço da aprendizagem que ocorre em sala de aula.

Este ano, adicionamos três novos cargos docentes no Ensino Médio e Fundamental II e contratamos excelentes profissionais para preencherem esses cargos. Isso diminuiu o número de alunos por sala da aula. Essa realidade permite que os professores forneçam mais tempo a cada aluno individualmente na sala de aula diariamente. Também contratamos um especialista adicional de aprendizado, meio período,  para apoiar ainda mais os alunos com necessidades de aprendizagem.
Na EAB, acreditamos firmemente que o apoio aos alunos vai além da sala de aula e, portanto, desenvolvemos e continuamos a melhorar o programa de auxilio aos alunos do Fundamental II e Ensino Médio chamado de Grupos FLEX. O objetivo desses grupos é proporcionar tempo aos alunos e professores para desenvolverem relacionamentos significativos, para permitir aos alunos praticarem metacognição e focarem nas necessidades sociais e emocionais dos jovens homens e mulheres da nossa escola.
 
Finalmente, e o mais importante, todos os dias na EAB, mantemos um foco ‘’laser’’ sobre quem estamos aqui para servir: nossos alunos. De forma informal e formal, os professores dedicados do Ensino Fundamental II e Ensino Médio passam seus dias falando sobre estudantes, seu aprendizado, felicidade e bem-estar , como eles estão se desenvolvendo como estudantes e como seres humanos. Cada semana, uma equipe chamada Equipe de Apoio ao Estudante (SST) se reúne para discutir alunos que podem precisar de estruturas adicionais para apoiar o aprendizado, que estão lutando socialmente ou emocionalmente, ou que sofreram uma interrupção significativa em suas vidas. A equipe então cria planos personalizados para apoiar esses alunos.

No seu núcleo, a EAB é um ambiente de aprendizagem que se baseia em relacionamentos atenciosos e pensativos entre os membros de sua comunidade. Isso não é mais verdadeiro do que nas relações entre estudantes e seus professores. Essas relações, mais do que qualquer outro fator, nos permitem querer mais de nossos alunos como aprendizes e seres humanos e fornecer a estrutura de suporte que nos permite prepará-los para levar vidas felizes, saudáveis, produtivas, de propósito e significativas.

Archive
Welcome! Please sign in:

Can't access your account?