JavaScript Disabled. For a better experience on this website please enable JavaScript in your browser.
SGAS 605 Conjunto E, Lotes 34/37 | Brasilia, DF 70200-650 Brazil | 55 (61) 3442-9700 | Contact Us
Nov
13

The Writing Center: Vision and Mission

writingcenter.jpg

“The aim of…literacy instruction at the American School of Brasilia (EAB) from a student’s entrance to their graduation is to create a culture of lifelong learning.  At EAB, we prepare our students to become active and effective readers, writers, and communicators who are empowered to showcase their own thinking, creativity, understanding, and bold visions for the future.”

EAB Literacy Review Essential Documents, 2017

 

“Words, words, words,” replied the eponymous hero, Hamlet, in answer to Polonius’s question, “What do you read, my lord?” in arguably Shakespeare’s best, and most famous, play. In a very voluble world, what is it exactly that these seemingly insignificant things can do for us? 

Following the 30th anniversary, last weekend, of the fall of the Berlin Wall in 1989, Robert Frost’s well-known dictum seems to me all the more apt in today’s world:  “Something there is that doesn’t love a wall/That wants it down,” he wrote in his magnificent poem, “Mending Wall,” protesting against prejudice and intolerance, the wall representing all the forces of oppression that seek to deny us our diverse forms of living and being. Once speaking of the same event in Berlin in an interview in the 1990’s, the great English Laureate, Ted Hughes, commented on how it was poetry that kept alive, focused, the spirit of resistance, the primacy of individual identity, whose undeniable, constant pressure, in the end, brought that wall down. 

What else can words do? In imaginative works of literature (Portuguese; Spanish; French etc.), we have the opportunity to walk around in the shoes of another character, experiencing the world from an alternative consciousness, a different point of view, for the entire length of a novel. The fictional representation of such an intense form of subjectivity precludes the possibility of reducing a character to an object, seen from the outside only – in short, to paraphrase the words of Steven Pinker, Harvard College Professor, in a lecture delivered at the Singularity Summit in 2012, literary creation is the single, most important means of enhancing our capacity for empathy towards others.  It follows from this that the greater our collective powers of empathy, the greater our understanding of the human condition which embraces us all. Widening our sympathies by gaining access to great literature, and other complex texts, whose primary medium is language, of course, requires higher levels of literacy.

Does this mean literacy is only concerned with literature? The great philosopher, Ludwig Wittgenstein, said in his Tractatus that, “The limits of my language are the limits of my mind. All I know is what I have words for.” In as far as language acts as our vehicle of mental consciousness, a form of internal dialogue with ourselves, then it follows as a corollary that the greater our facility with language, the more sophisticated and extended it is, the greater our capacity for thought and, ultimately, action in the world. Interpreted this way, the implications of Wittgenstein’s statement are clear: literacy, in the words of the EAB Literacy Review document, completed in 2017, “is at the heart of learning in every subject area and, therefore, the foundation of our academic pillar.” Given this, the Writing Center’s vision and mission is aligned not only to acknowledge the importance of writing, and reading, as central to our lives and learning, but to serve the entire EAB community in promoting literacy in all its diverse forms, across the curriculum, providing assistance to both staff and students alike in our shared endeavor to make the world a better place through education.

To this end, I share here a brief sample of quotes from those who have used the Center in a variety of ways so far this term, and how they feel it has helped them:

US and UK College essays:

“I had a lot of loose ideas but was unable to find a focus for my essay. The Writing Center helped me find a clear direction that tied all my ideas together under a central theme. It gave me exactly what I needed and allowed me to write a sustained and engaging narrative while still preserving the personal aspects of my story.”

Senior IB student

I reached out to the Writing Center after writing my personal statement and university essays and it was extremely helpful. I managed to get all my essays done so quickly and it was probably one of my best works so far”. 

Senior IB Student

 

IB Subjects

“The Writing Center is a really great resource for students to take advantage of - I went there for help on my Internal Assessment for Film, and received a lot of really helpful feedback on how to restructure and refine it, ultimately proving to be super valuable in putting the finishing touches to my essay.”

Senior IB Film student

“When I was struggling to organize and structure my text (something that has always been hard for me - I feel like I can write the actual ideas but organizing this text and avoiding it being a big jumble…is a problem), the Writing Center aided me in making sure I could clearly focus on the prescribed question, which I really appreciated when working on my History IA, for example.”

Senior IB History student

“For me the Writing Center was an opportunity to explore new ideas and different perspectives about my texts, and also improve my vocabulary and argumentation. It is definitely a resource that I will use many other times.”

Senior IB ToK Student

 

Grade 9 and 10 students

“When I am frustrated or insecure about an essay or any other project, I visit the Writing Center. These encounters help me improve my projects, enhance my knowledge about writing and they make me a more confident writer.”

“The Writing Center has helped me a lot with my writing and we can see that through my grades that are getting better over time…I'm feeling that I'm growing as a writer and as a student! PS: English has become one of my favorite subjects because of the Writing Center.” 

 

Staff

“The Writing Center has helped me in the most enormous way with demands of the school play. I have been able to access the skills to explore a variety of roles for all the students. The Writing Center has been able to articulate complicated ideas about the school plays and express their importance in the context of history. The Center makes it easier for me…to communicate the ideas that must reach a larger audience...”

Theatre Arts

“Ter o suporte do "Writing Center" fez com que eu me sentisse muito mais segura para enviar a carta de recomendação às universidades inglesas.”

IB Português 

“No Writing Center, por meio da atenção dada ao meu texto, ganhei mais confiança e vi alguns exemplos que me ajudaram a melhorar o que eu tinha em mente. É sempre valioso aperfeiçoar nossa prática textual, e a comunidade da escola só tende a ganhar com isso.” 

IB Português 

 

David Sweetman

IB English Teacher

 


 

 

O Centro de Escrita: Visão e Missão

"O objetivo do ensino de alfabetização na Escola Americana de Brasília (EAB), desde a entrada de um aluno até a graduação, é criar uma cultura de aprendizagem ao longo da vida. Na EAB, preparamos nossos alunos para se tornarem leitores, escritores e comunicadores ativos e eficazes que têm o poder de mostrar seu próprio pensamento, criatividade, entendimento e visões ousadas para o futuro."

Documento de Revisão da Alfabetização da EAB, 2017 

"Palavras, palavras, palavras", respondeu o herói epônimo, Hamlet, em resposta à pergunta de Polonius: "O que você lê, meu senhor?", na indiscutivelmente melhor e mais famosa peça de Shakespeare. Em um mundo extremamente mutável, o que exatamente essas palavras, coisas aparentemente insignificantes, podem fazer por nós?

Após o trigésimo aniversário, no fim de semana passado, da queda do Muro de Berlim em 1989, o conhecido ditado de Robert Frost me parece ainda mais adequado no mundo de hoje: “Há algo que não ama um muro/Que o quer derrubar", escreveu ele em seu magnífico poema  "Mending Wall", protestando contra o preconceito e a intolerância, o muro representando todas as forças de opressão que procuram nos negar nossas diversas formas de viver e ser. Uma vez falando do mesmo evento em Berlim, em uma entrevista na década de 90, o grande laureado inglês Ted Hughes comentou como era a poesia que mantinha viva e  concentrada o espírito de resistência e o predomínio da identidade individual, cuja inegável e constante pressão derrubou o muro, afinal.

O que mais as palavras podem fazer? Em obras imaginativas da literatura (português; espanhol; francês etc.), temos a oportunidade de andar no lugar de outro personagem, experimentando o mundo a partir de uma consciência alternativa, de um ponto de vista diferente, por toda a duração de um romance. A representação fictícia de uma forma tão intensa de subjetividade exclui a possibilidade de reduzir um personagem a um objeto, visto apenas de fora - em resumo, parafraseando as palavras de Steven Pinker, professor do Harvard College, em uma palestra proferida no Singularity Summit em 2012, a criação literária é o meio único e mais importante de aumentar nossa capacidade de empatia pelos outros. Ele conclui que quanto maiores nossos poderes coletivos de empatia, maior nossa compreensão da condição humana que envolve todos nós. Ampliar nossa sensibilidade ao obter acesso a boa literatura e outros textos complexos, cujo meio principal é a linguagem, é claro, requer níveis mais altos de alfabetização.

Isso significa que a alfabetização se preocupa apenas com a literatura? O grande filósofo Ludwig Wittgenstein disse em seu Tractatus que: “Os limites da minha linguagem são os limites da minha mente. Tudo o que sei é para o que tenho palavras. ”Na medida em que a linguagem atua como nosso veículo de consciência mental, uma forma de diálogo interno conosco, o resultado é que, quanto maior a nossa facilidade com a linguagem, mais sofisticada e extensa torna-se a nossa capacidade de pensamento e, finalmente, de ação no mundo. Interpretadas dessa maneira, as implicações da declaração de Wittgenstein são claras: a alfabetização, nas palavras do documento de revisão da alfabetização da EAB, concluída em 2017, “está no cerne da aprendizagem em todas as áreas e, portanto, na base de nossos pilares”. Diante disso, a visão e a missão do Centro de Escrita estão alinhadas não apenas para reconhecer a importância da escrita e da leitura como essenciais para nossas vidas e aprendizado, mas para servir toda a comunidade da EAB na promoção da alfabetização em todas as suas diversas formas, através de todo o currículo, fornecendo assistência para funcionários e alunos em nosso esforço compartilhado de tornar o mundo um lugar melhor através da educação.

Com isso em mente, compartilho aqui uma breve amostra de citações daqueles que usaram o Centro de várias maneiras até agora neste semestre, e como eles acham que isso os ajudou:

Redações para universidades nos EUA e Reino Unido:

“Tive muitas ideias soltas, mas não consegui encontrar um foco para o meu ensaio. O Centro de Redação me ajudou a encontrar uma direção clara que unisse todas as minhas idéias sob um tema central. Isso me deu exatamente o que eu precisava e me permitiu escrever uma narrativa sustentada e envolvente, preservando os aspectos pessoais da minha história.”

Aluno Formando do IB

“Conheci o Centro de Escrita depois de escrever minha declaração pessoal e redações universitários, e foi extremamente útil. Consegui fazer todas as minhas redações tão rapidamente e provavelmente foi um dos meus melhores trabalhos até agora.” 

Aluno Formando do IB

 

Matérias do IB

“O Centro de Escrita é um recurso realmente excelente para os alunos aproveitarem - eu fui lá para ajudar na minha Avaliação Interna de Filme e recebi muitos comentários realmente úteis sobre como reestruturá-lo e aperfeiçoá-lo, provando ser extremamente valioso em dando os retoques finais no meu ensaio.”

Aluno Formando do IB Film

“Quando eu estava lutando para organizar e estruturar meu texto (algo que sempre foi difícil para mim - sinto que posso ter boas ideias, mas organizá-las e evitar que ela seja uma grande confusão… isso é um problema), o Centro de Escrita me ajudou a garantir que eu pudesse me concentrar claramente na pergunta prescrita, o que foi especialmente útil ao trabalhar no meu IA de História, por exemplo.”

Aluno Formando do IB History

“Para mim, o Centro de Escrita foi uma oportunidade de explorar novas ideias e diferentes perspectivas sobre meus textos, além de melhorar meu vocabulário e argumentação. Definitivamente, é um recurso que usarei muitas outras vezes.”

Aluno Formando do IB ToK

 

Alunos do 9º e 10º Anos 

“Quando estou frustrado ou inseguro com relação a uma redação ou qualquer outro projeto, visito o Centro de Escrita. Esses encontros me ajudam a melhorar meus projetos,

aprimorar meu conhecimento sobre escrita e me tornam um escritor mais confiante.”

“O Centro de Escrita me ajudou muito com a redação e podemos ver isso refletido em minhas notas, que estão melhorando ao longo do tempo... Sinto que estou crescendo como escritor e como estudante! PS: Inglês se tornou uma de minhas matérias favoritas por conta do Centro de Escrita. 

 

Professores 

“O Centro de Escrita me ajudou de forma incrível com as exigências da peça da escola. Consegui focar em minhas habilidades para explorar uma variedade de papéis para todos os alunos. O Centro de Escrita me ajudou a articular ideias complicadas sobre as peças da escola e expressar sua importância no contexto histórico. O Centro me ajuda a comunicar melhor as ideias que devem atingir um público maior...”

Professora de Teatro

“Ter o suporte do "Writing Center" fez com que eu me sentisse muito mais segura para enviar a carta de recomendação às universidades inglesas.”

IB Português 

“No Writing Center, por meio da atenção dada ao meu texto, ganhei mais confiança e vi alguns exemplos que me ajudaram a melhorar o que eu tinha em mente. É sempre valioso aperfeiçoar nossa prática textual, e a comunidade da escola só tende a ganhar com isso.” 

IB Português

 

David Sweetman 

Professor de Inglês do IB

Archive
Welcome! Please sign in:

Can't access your account?